Com a ampliação do uso do Business Intelligence e a mudança de modelos de negócios para o Data Driven, surge um novo desafio: como apresentar a mensuração de dados de forma atrativa e impactante?Diante de tabelas com centenas de dados, não conseguimos chegar rapidamente a conclusões.

Tampouco ganhamos agilidade nas decisões de negócios, o que afeta a competitividade e o aproveitamento de janelas de oportunidades.Neste sentido, é preciso inovar e trazer novas formas de apresentar relatórios.

Quer algumas dicas? Sigamos em frente! 

Selecione suas fontes de dados 

Neste caso, o Business Intelligence é sua melhor arma para não incorrer nessas falhas. Com ele é possível acessar diversas fontes de dados e extrair ótimos insights para a tomada de decisão.Antes de mais nada, é preciso selecionar as fontes de dados que darão subsídios à apresentação do seu relatório. Uma só fonte pode ser insuficiente para embasar sua argumentação ou apresentar apenas um aspecto da sua análise. 

Crie sua estrutura 

Crie os tópicos e subtópicos a serem abordados, num esquema de fácil compreensão. Mapas mentais são excelentes ferramentas para criar esse tipo de estrutura, pois você pode conectar os assuntos conforme o raciocínio da sua audiência.Com os dados selecionados, chegou o momento de criar a estrutura do seu relatório. Trata-se de algo simples: o encadeamento das ideias que serão apresentadas nele. 

Desenvolva uma narrativa 

O recurso mais utilizado para criar narrativas impactantes é o Storytelling, onde você insere seus dados em experiências e exemplos reais. Desta forma, é possível cativar quem está assistindo sua apresentação de resultados e tornar o momento mais descontraído e interessante.Apresentar dados crus, sem um pano de fundo, pode ser maçante e deixar sua audiência entediada. Numa reunião de marketing e vendas, por exemplo, procure contextualizar os dados de forma que as pessoas insiram sua narração em situações do cotidiano. 

 


New Call-to-action Reforce seus argumentos

Dashboards de controle são fundamentais para tornar essas informações mais evidentes, pois, com a análise do Business Intelligence, as informações chegam  a todos de forma conclusiva, indicando caminhos e ações a serem tomados.Mais do que dizer o que está acontecendo, a mensuração de resultados deve dizer por que determinado evento está ocorrendo. E mais: deve dizer o que fazer em seguida.

Para reforçar a ideia junto ao seu público, utilize o recurso da repetição. Numa carta de marketing e vendas, por exemplo, usamos o copywriting para preparar o conteúdo de forma persuasiva. E uma das estratégias usadas é repetir o mesmo argumento várias vezes, de maneira diferente.

 

No seu relatório, é possível valer-se do mesmo recurso. Apresente a mesma ideia várias vezes ao longo do documento, modificando a forma de visualização. Ora pode ser em texto, ora em formato de gráfico.

 

E por falar em gráficos…


Seus gráficos devem ser autoexplicativos, simples e de fácil compreensão. Se tiver dúvidas em relação à interpretação de gráficos, peça que outra pessoa avalie os dados apresentados.Gráficos são ótimos para colocar a informação de forma visual e atrativa. Mas tome cuidado: gráficos que precisam de textos para explicar os dados apresentados são ineficazes.Uma segunda opinião é sempre bem-vinda para que você faça uma apresentação impactante.

 

Dê exemplos! 


Na mensuração de dados, costumamos ficar presos aos números, quando, na verdade, o que as pessoas querem saber são os impactos desses números na atividade da empresa.Além dos gráficos, é possível inserir no seu relatório exemplos ou cases para ilustrar melhor uma ideia. Aqui, o Storytelling é reforçado para ampliar o nível de compreensão do seu público sobre o tema que está sendo tratado.

Imagine que sua organização vem perdendo 0,5% de vendas mês a mês. Em um primeiro momento, pode ser um dado insignificante para marketing e vendas, que podem argumentar a dificuldade em elevar as metas com a crise econômica.

No entanto, pode ser que esse número quase inexpressivo venha a acarretar em um prejuízo enorme para a empresa ao final de um ano, causando demissões, corte de verbas e até a descontinuidade de uma parte dos negócios.

Tudo isso pode ficar mais evidente se você utilizar exemplos, projetar cenários e tendências e contextualizá-los segundo a realidade da organização. Conte com o Business Intelligence para isso!

Traga soluções


O Data Driven serve para corrigir o curso das estratégias organizacionais, por isso, é importante termos a competência necessária para analisar os dados e também a habilidade de identificar oportunidades a partir deles.Apresentar problemas é fácil, assim como apontar falhas. Mas e as soluções? O grande diferencial que as organizações buscam em analistas de dados é justamente a interpretação dos dados de forma a encontrar soluções para os problemas detectados.

É por esse motivo que, cada vez mais, temos analistas de negócios trabalhando em conjunto com analistas de dados. Enquanto estes extraem insights precisos de ferramentas como o BI, aqueles inserem os dados no contexto de negócios e utilizam o conhecimento adquirido para gerar valor.

Cuide do visual

Já nos relatórios textuais explicativos, o cérebro torna-se seletivo e guarda apenas uma parte da informação, prejudicando a tomada de decisão no médio e longo prazos.Finalmente, é importante que você cuide do visual do seu relatório. O ser humano é predominantemente um ser visual. Uma imagem bem elaborada, como um infográfico, pode ser mais efetiva do que uma série de dados, pois o cérebro apreende toda a informação contida na imagem como se ela fosse uma só.

Um bom design, a escolha das fontes certas, bem como das cores para gerar contrastes e dar destaque às informações mais importantes é essencial. Caso tenha dificuldades com isso, procure um profissional de design ou então conte com sua ferramenta de Business Intelligence para apresentar dashboards atrativos.

 

Apresentar a mensuração de resultados de forma impactante depende da solução de Business Intelligence que você usa. Que tal aprender a escolher a melhor?