Fechamento do mês! Para muitos, uma das (se não a) época mais temida na organização. É correria para todo lado, ligações para consolidar as vendas, calcular o faturamento, recolher os impostos, entre outras missões. Mas nós aqui na IN sabemos que passada a turbulência do fechamento, outro momento temido se aproxima: as apresentações de resultado.

Cada área tem seu leque de informações para organizar e avaliar – visando o direcionamento de ações para o novo período. Para o CFO (Chief Financial Officer), estruturar a análise de métricas financeiras, de forma a contar com visões próprias para a tomada de decisão do time e da empresa, é fundamental.

Fundamental, mas nem sempre possível. Muitas vezes dispor desses cenários depende da junção de informações que estão estruturadas em planilhas eletrônicas de cada área. E a sabemos que cada um coloca sua marca nas suas planilhas. O que implica dizer que, via de regra, elas não se conversam, e isso torna o processo demorado e até sofrido.

Quem nunca entrou madrugada adentro trabalhando na consolidação de planilhas financeiras para apresentação de resultados, que “atire a primeira pedra”!

# Porque você precisa otimizar a gestão de planilhas financeiras


Primeiramente, para parar de sofrer quando a reunião de resultados é agendada!

Brincadeiras à parte, você sabe que o volume de informações que transitam em sua organização é muito grande, e que você como CFO, não pode ficar correndo atrás delas.

Tudo bem, temos um dilema aqui: 

  • Se você não gasta tempo “garimpando” e organizando as informações para montar DRE (Demonstrativo de Resultados), fluxo de caixa, crescimento da receita, entre outros, você também não tem o que apresentar;
  • Por outro lado, como seu tempo é empenhado nessa montagem de informações, você não consegue fazer análises mais aprofundadas para ajudar o time e a empresa a entenderem os números para tomar as ações certas.


Por isso você precisa da otimização da gestão de planilhas financeiras. Seu tempo como gestor financeiro deve ser direcionado para análises estratégicas, que encontrem os pontos de atenção aos quais a empresa deve se atentar. Não organizando dados. Contar com planilhas eletrônicas é bom, mas até quando?

A análise de métricas financeiras só será possível à medida em que você deixar de lado essa atividade operacional para usar seu conhecimento e experiência em prol das estratégias do seu negócio. E não adianta simplesmente repassar para as outras pessoas do time. Elas farão a parte delas certamente. Mas a pouca produtividade e a margem de erros continuarão existindo.

O frio na barriga quando a reunião de resultados é agendada estará apenas sendo delegado!

# Como resolver este dilema e melhorar a análise de métricas financeiras

Podemos dizer que anos atrás, o papel do gestor financeiro era próximo ao de um contador corporativo. Ele precisava gerir a contabilidade da empresa, estabelecer e fazer cumprir controles internos sobre os processos financeiros, entre outras atividades de cunho mais operacional.

No entanto, o avanço da tecnologia tem impactado todos os setores e você como responsável pela área financeira da sua organização já percebeu as mudanças. Entre elas, o tempo de resposta e a assertividade delas.

Neste cenário, transformar informação em resultado: é isso que você precisa, certo?

Suas atribuições como planejamento financeiro, utilização de recursos, análise de crédito, contas a pagar e a receber, e controle de caixa, precisam estar sempre em dia. Ao mesmo tempo, estas e outras transações da empresa geram dados que precisam ser analisados.

Para usar esses dados a seu favor – e da sua empresa – o ideal é que você conte com uma ferramenta de análise ou BI (Business Inteligence). Ela ajuda a coletar, organizar, analisar, compartilhar e monitorar dados que auxiliam na gestão dos negócios.

Com a junção de teorias, processos, metodologias e tecnologia, os dados se tornam informações relevantes e ajudam a tomar decisões estratégicas, sem que você precise ir atrás da informação. Ela estará lá, automaticamente, disponível para sua análise.

Imagine um gestor financeiro que precisa gerenciar os indicadores financeiros de um grupo de empresas (talvez seja o seu caso). Fazer esta gestão em planilhas, dificulta e até impede, por exemplo, comparativos entre as unidades de negócio, para direcionar ações que tornem todas as atividades rentáveis.

Outro ponto crucial na análise de métricas financeiras, é que os dados devem representar a realidade do seu negócio. Isso implica dizer que a informação certa deve estar disponível na hora certa, sob pena de atrasar e prejudicar uma ação importante.

Uma solução de BI vai trazer velocidade de análise, confiabilidade,
governança e compliance para a análise de métricas financeiras e tomada de decisão. Os dados da sua organização não podem ser problema, ao passo que são, quando utilizados adequadamente, o melhor insumo para o direcionamento dos seus negócios.

New Call-to-action