Dados são o novo petróleo, diamantes brutos a serem lapidados. Você já ouviu muitas vezes essa afirmação e sabe o valor da captura e manipulação do big data dentro da realidade corporativa. Segundo a consultoria Gartner, líderes de TI (Tecnologia da Informação) como você devem adotar novas tecnologias disruptivas para armazenar e gerenciar cada vez mais informações. 

Mas para que todas as vantagens da utilização do potencial dos dados sejam realmente colocadas em prática é preciso, além da maturidade de TI da empresa, também contar com uma equipe orientada a dados

Quer saber qual é a importância de contar com um time data driven? Continue lendo este texto!

O valor de ter uma equipe orientada a dados 

Antes de falar da relevância da equipe ser focada em data driven é importante dar um passo para trás e entender o quanto é importante desenvolver uma cultura organizacional focada em dados. Eles devem ser a alma da empresa e verdadeiramente elevados a protagonistas de todas as ações estratégicas e tomadas de decisão.   

Quando as informações começam a fazer parte do apoio ao core business fica mais fácil direcionar as ações e o comportamento, orientando a equipe a focar-se em dados

Este valor foi comprovado na prática por um levantamento realizado pelo McKinsey Global Institute. Organizações orientadas por dados têm: 

  • 23 vezes mais chances de adquirir clientes;
  • 6 vezes mais chances de reter esses clientes; 
  • 19 vezes mais chances de serem lucrativas como resultado.

Percebeu como essa característica pode ser, literalmente, a diferença entre o sucesso ou o fracasso de uma iniciativa? Como a implementação de um projeto de big data ou business intelligence (BI), por exemplo.  

Quando uma equipe tem pleno conhecimento, maturidade e organização, ela será capaz de conduzir o processo de adoção. Já quando a solução estiver ‘rodando’, o benefício será saber como usar todo o potencial dos seus dados.

Como ter uma equipe data driven

A Forrester Consulting & Atos apurou que 90% dos líderes de negócios e TI da América do Norte, Europa e Ásia acreditam que conhecimento vindo de negócios orientados por dados serão um importante diferencial até 2020.

A melhor maneira para que sua empresa esteja inserida no contexto acima é alinhar e preparar o mindset dos colaboradores. De que maneira? Treiná-los conforme a  cultura colaborativa. Para isso é preciso dedicar tempo e esforço para explicar quais são os dados mais importantes para a companhia, deixando claro o senso de urgência e a importância para a empresa.  

É importante também definir processos e operações que visem  facilitar a aquisição das informações necessárias pelos funcionários. E também ser transparente no limite que eles podem ir com restrições de acesso e uma governança de dados com pulso firme. Isso leva a uma utilização mais madura das ferramentas tecnológicas, como o BI.

Veja abaixo a declaração de Jay Dwivedi, fundador do xInvest Consultants. Ela ajudará a pensar  na formatação do modelo  data driven:

“Dê autonomia às equipes com a condição de que as decisões sejam tomadas com base em dados concretos. Sem uma métrica de performance, sem uma análise aprofundada ou sem uma indicação clara dos números do negócio, a equipe estará à deriva”. Assim pensa Jay Dwivedi, fundador do xInvest Consultants.

O resultado?

Nas empresas com forte cultura data driven as equipes estão mais aptas a buscar dados para ajustar estratégias e objetivos. Isso traz um papel determinante e ativo  na análise e na medição de processos, projetos e resultados.

Quais são os requisitos técnicos para usar todo o potencial dos seus dados? 

Uma equipe de TI equipe orientada a dados deve utilizar seus conhecimentos para guiar o processo de tomada de decisão em direção ao seu objetivo de negócio. Mas aí vêm questões importantes: 

  • Será que meu time é capaz? 
  • Tem o conhecimento técnico necessário para assumir esse posicionamento menos operacional e mais estratégico?

Essas perguntas levam a uma encruzilhada: Vale a pena capacitar a equipe ou trocá-la? Eis o dilema. 

Para ajudar seguem abaixo 3 requisitos necessários para que um time de TI seja capaz de atuar como uma equipe orientada a resultados e dados:

- Novas linguagens de programação: Algumas linguagens de programação se tornaram ícones em Ciência de Dados, como Python, R, Julia, Scala e Java. Elas permitem uma base sólida, fazendo com o que o time entenda em profundidade soluções comerciais;

- Machine learning: É importante saber usar algoritmos de aprendizado para construir ou entender aplicações que automatizem processos, minerem esses dados e gerem sistemas de recomendação que aprendem sobre os usuários;

- Conhecer o negócio: Não basta mais apenas ser técnico, é preciso ter no time talentos que conheçam  as aplicações práticas dos dados que sejam relevantes para os negócios.

Seus profissionais são maduros o suficiente para fazer parte dessa verdadeira revolução dos dados? Para que uma equipe seja capaz de usar todo o potencial dos seus dados é preciso realmente ter diversas habilidades técnicas e estratégicas para resolver problemas complexos. Isso sem dizer de interesse na exploração de como levar o negócio a um novo patamar. 

Continue a conhecer mais sobre tecnologias disruptivas. Leia o Blog da IN1!