De tempos em tempos toda organização precisa rever os processos e resultados das áreas para controlar a vitalidade da companhia e identificar se é preciso corrigir falhas e traçar uma nova rota.

Porém, o processo de auditoria interna, quando não conduzido de forma planejada e estruturada, pode expor pessoas, gerar atritos e ainda comprometer o desempenho operacional da empresa. Além disso, identificar possíveis gargalos e não planejar medidas corretivas que priorizem o aumento da rentabilidade, geram iniciativas sem valor algum.


Planeje a auditoriaSe você está prestes a realizar uma auditoria na sua empresa confira quatro dicas importantes sobre como mapear os processos e fluxos de investimentos, priorizando cada etapa da análise.

Antes de qualquer coisa tenha claro o objetivo da auditoria e quais problemas pretende resolver. Nesta etapa é importante traçar as métricas e metas que serão avaliadas em cada departamento. As ferramentas tecnológicas são grandes facilitadoras. Com o Business Intelligence (BI) você consegue determinar de forma simples e prática, os formatos de relatórios que serão utilizados, os scorecards e mapas estratégicos para monitorar o desempenho das ações analisadas.

Identifique o problema

 

Depois de definir os indicadores de análise e o formato dos reports que deverão ser considerados em cada etapa e departamento é hora de tomar uma atitude para corrigir os pontos desarmônicos da operação e aumentar o ROI. Aqui, a ferramenta de análise inteligente de dados com foco no operacional é uma boa saída para ajudar no processo de cruzamentos de informações para identificar problemas que estejam impedindo a melhora dos processos. O uso do BI neste processo elimina, por exemplo, o desconforto de ter que avaliar os processos de uma área manualmente e correr o risco de apontar um culpado.

Isole os obstáculos e tome a decisão certa

Com a descoberta da origem dos problemas deve-se iniciar os planos de ação. Se no processo de auditoria você descobriu que um funcionário está com baixo desempenho e impactando o bom andamento da área, o RH pode iniciar um programa de melhoria das soft skills, por exemplo, na tentativa de corrigir o fato. Já no caso de uma queda brusca de faturamento na venda de determinado produto, com o apoio do BI, é possível isolar o contexto geral e analisar com profundidade o caso sob múltiplas perspectivas. Desta forma, você consegue definir as melhorias nos processos e também avaliar o retorno sobre cada ação proposta.

Mantenha a imparcialidade

Lembre-se que o propósito da auditoria não é eleger culpados pelas falhas internas. Esse é um erro comum nas organizações e que pode colocar em risco o sucesso da operação. Por isso, faça uma análise embasada por dados reais e relevantes. É assim que você conseguirá definir processo mais eficientes.

 New Call-to-action